Cicatrização de feridas: entenda como funciona cada fase do processo

cicatrização de feridas

Seja qual for o agente causador, o processo de cicatrização de feridas passa invariavelmente por três fases, que são: inflamatória, proliferação, maturação ou remodelamento.

Assim como acontece em todo o corpo humano, onde é encontrado em abundância, o colágeno é o componente principal da matriz extracelular do tecido.

Desse modo, tanto a sua síntese, fixação e degradação estão diretamente relacionados ao tecido cicatricial.

Para saber como funciona cada fase do processo de cicatrização de feridas e como o colágeno se comporta em cada uma delas, leia esse post!

Etapas da cicatrização de feridas

A fim de evitar completamente a possibilidade de cicatrizes patológicas, recentes estudos tem sido realizados, para maior entendimento do processo de cicatrização de feridas, principalmente na fase de modulação.

Assim sendo, é essencial conhecer profundamente cada etapa desse processo, que é exatamente o que será apresentado agora.

Fase inflamatória

Iniciada logo após a lesão, a fase inflamatória, libera algumas substâncias vasoconstritoras por meio das membranas celulares,  principalmente tromboxana A2 e prostaglandinas.

 As plaquetas e o endotélio lesado promovem o estímulo da cascata da coagulação, possuindo importante papel no processo de cicatrização de feridas.

Responsáveis pela reserva proteica utilizadas na síntese de citocinas e demais fatores de crescimento, colágeno, plaquetas e trombina, atuam na formação do coágulo.

A partir da vasodilatação e do aumento da permeabilidade vascular, que promove a migração de neutrófilos para a ferida, ou quimiotaxia, tem início a resposta inflamatória.

A grande concentração dos neutrófilos, que são as primeiras células a chegar à ferida, após 24 horas da lesão, produz radicais livres que contribuem para a destruição bacteriana, sendo substituídos gradativamente por macrófagos11.

No período compreendido entre 48 e 96 horas ocorre a migração dos macrófagos para a ferida, desempenhando um papel essencial na finalização do desbridamento que teve início com os neutrófilos.

Para que a transição para a fase proliferativa ocorra de maneira adequada, os neutrófilos prestam grande auxílio na secreção de citocinas e fatores de crescimento.

Bem como, com a contribuição na fibroplasia, angiogênese e síntese de matriz extracelular11, essenciais para a fase proliferativa.

Fase proliferativa

Tendo início em torno do 4º dia da lesão e se estendo até o final da segunda semana, a fase proliferativa é composta por 4 etapas: epitelização, angiogênese, formação de tecido de granulação e por fim, deposição de colágeno.

Dentre essas 4 etapas, a mais importante clinicamente é a deposição de colágeno de forma organizada.

Com o decorrer do tempo, o colágeno, que  inicialmente é mais fino que o da pele não lesionada,  é reabsorvido, dando lugar a um mais espesso nas linhas de tensão.  

De tal forma que a ferida alcança maior força tênsil, sendo um importante passo para a cicatrização de feridas.

Quando acontece o equilíbrio entre a síntese da matriz antiga e da nova, a deposição do colágeno é maior, aumentando o sucesso da cicatrização de feridas.

Contudo, é normal que o local lesionado apresente um colágeno menos organizado, mesmo depois de um ano, além disso, a força tênsil nunca mais será 100%.

Fase de maturação ou remodelamento

A última etapa da cicatrização de feridas, que é a maturação, acontece por volta do 21° dia, quando ocorre a diminuição da vascularização e da densidade celular da ferida, dando início à formação das fibras colágenas.

Sendo assim, o tecido originado durante o processo de cicatrização é reorganizado, tornando-se mais resistente, proporcionando uma melhora significativa na aparência da cicatriz, finalizando todo o processo de cicatrização.

Outra característica percebida nessa etapa é a mudança da tonalidade da cicatriz, que adquire um tom rosa claro e não mais vermelha escura.

Como essa fase de maturação ou remodelamento pode durar semanas ou até meses, essa etapa é de fundamental importância para a cicatrização de feridas.

O sucesso da recuperação da lesão pode ser maior se o paciente tiver uma alimentação adequada e o consumo suficiente de líquidos, que ajudam a acelerar a cicatrização.

Seguindo as recomendações necessárias, haverá maior tranquilidade nesse período de cicatrização, considerando as diferenças de cada organismo

Quais fatores podem interferir no processo de cicatrização de feridas?

Fatores locais
  • Isquemia;
  • Infecção;
  • Técnica cirúrgica;
  • Corpo estranho e edema;
  • Pressão tecidual elevada.
Fatores sistêmicos
  • Diabetes;
  • Deficiências vitamínicas;
  • Hipotireoidismo;
  • Doenças hereditárias;
  • Alterações da coagulação;
  • Idade;
  • Trauma grave;
  • Insuficiência hepática e renal;
  • Tabagismo;
  • Desnutrição;
  • Tabagismo;
  • Radioterapia.

Conclusão

O processo de cicatrização de feridas pode ser um período de dor e sofrimento dependendo da extensão da lesão.

No entanto, se os cuidados forem tomados de acordo com as recomendações médicas, a probabilidade de sucesso da recuperação é muito positiva.

Assim, além de ter uma boa alimentação e consumo adequado de líquidos, é fundamental utilizar os curativos indicados para cada tipo de lesão.

No e-commerce da Maconequi é possível encontrar todos os materiais necessários para o tratamento utilizado durante o processo de cicatrização de feridas.

Além disso,  disponibilizam em seu blog, artigos com informações relevantes sobre cicatrização de feridas, confira!

Este blog busca democratizar o conhecimento sobre feridas e os melhores curativos para tratá-las. Desde machucados corriqueiros até os mais graves. Nosso objetivo é proporcionar uma melhor qualidade de vida para todos.
Post criado 13

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Comece a digitar sua pesquisa acima e pressione Enter para pesquisar. Pressione ESC para cancelar.